Ouvimos muitos casos de racismo por todo o Brasil que poderiam acontecer aqui, lá, aí onde você mora. Quantos casos de preconceito você já presenciou? O que pouca gente percebe é que tipo de consequências isso pode trazer quando a vítima é uma criança, em processo de formação da própria identidade.

 

Crianças que já nascem estigmatizadas por sua cor de pele, pelo local onde moram e pelos lugares onde estudam têm poucos exemplos que os representem. Alie isso a zero incentivo e temos uma bomba-relógio. Profissionais, amigos, familiares: Não adianta somente ter um discurso pronto sem verdade, precisamos de pessoas que realmente estão engajadas em conscientizar pessoas desde a infância.

Entre 8 meses e 3 anos de idade, o ser humano começa a notar as diferenças físicas entre ele e os outros. Nesse período, é fundamental que ele se sinta aceito, acolhido e valorizado nessas diferenças. Esse poderá ser o início do conflito que o bebê ou a criança irá travar com seu corpo com base nas representações negativas que a sociedade tem e que se manifestam através de toques, olhares, chacotas, apelidos e imagens depreciativas. No entanto, quais são os efeitos do racismo nas crianças?

👉 Baixa autoestima
👉 Negação da própria imagem
👉 Sentimentos de angústia e revolta
👉 Dificuldade de relacionamentos
👉 Queda no rendimento escolar

O racismo é fruto de um conjunto de fatores, e socialização é um deles. É difícil arrancar conceitos arraigados no indivíduo. E por isso o racismo precisa ser combatido com lógica, oferecendo possibilidades de desenvolvimento sadio para que crianças negras tenham um pleno convívio com toda sociedade. Qual foi a pior situação, que você já presenciou, de racismo e qual foi sua reação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *